terça-feira, agosto 01, 2006

E se eu não amar...

A vida é uma aventura povoada de conflitos, dúvidas e medos. Não sinto nenhum desconforto em afirmar isso. Às vezes sinto-me desamparado, perdido e solitário, não sabendo o que fazer, o que decidir.

No entanto, isso me fortalece, me faz avançar. Percebo que não sei tudo, por mais que estude. Que sou limitado, imperfeito e que por isso devo ser humilde e que também posso errar mesmo que tome a melhor decisão. Que não entendo a totalidade dos meus sentimentos e do meu próximo.

Desta reflexão nasceu essa poesia.

---

E se eu não amar?

E se eu correr e não parar?
E se eu parar e não continuar?
E se eu continuar e não sonhar?

E se eu dormir e não acordar?
E se eu acordar e não levantar?
E se eu levantar e não aguentar?

E se eu adoecer e não me curar?
E se eu enlouquecer e não me acalmar?
E se eu sofrer e desistir?

E se eu for e não chegar?
E se eu chegar e não ficar?
E se eu partir e não voltar?

E se eu esperar e demorar?
E se eu procurar e não achar?
E se eu achar e não quiser?

E se eu ver e não me encantar?
E se eu me encantar e não me apaixonar?
E se eu me apaixonar e não amar?

E se eu amar e não for amado?
E se eu for amado e não perceber?
E se eu perceber e não amar?

Abraços poéticos,

Allan Lima
Belém-Pará

4 comentários:

Anônimo disse...

Amigo,

Sabes que sou tua fã numero 1º,nem preciso, ou será que preciso dizer que tudo o que você escreve parece mágico e encantador?
É verdade, e "seu não disser você nunca vai saber" né verdade?
Lindo! muito linda a poesia, é tão sentida, vivida, tem gosto e jeito do dia-a-dia, são preocupações da nossa vida, tão humana e tão indecisa.
São coisas da gente que sente, que sofre que ama, que mesmo não querendo se preocupa com o amanhã, com o futuro incerto.
É humano.
Parabens!!!

Da admiradora jovem poetisa

Dayane Costa

Anônimo disse...

É bonito ver e conhecer pessoas que consigam ver a vida com olhos de criança, mas com a maturidade de um sábio. A criança, sempre sonhadora que sabe ver as coisas bonitas da vida sem malícia e ódio, junto à maturidade de um sábio que sabe muito bem como organizar suas ideias e que tem muito mais habilidade na hora de expô-las, assim vejo esse grande homen chamado Allan, quanto a poesia, mais uma vez vc consegue questionar pequenas mentes como a minha, é interessante ver a sequência com que as coloca, o trajeto. "E se eu lutar pelo topo e consegui-lo, depois luto pelo quê?". Essa poesia mostra como muitas pessoas se encontram na vida e como muitos vivem ela, cheios de duvidas e incertezas, a vida é assim e de que adianta ter certeza? E essa é uma das graças da vida, pois essas duvidas, incertezas, sofrimentos e dores são os motivos de vivermos e de seguirmos a vida. Mas uma coisa é certa "O FUTURO É UM LABIRINTO PRA QUEM NÃO SABE O QUE QUER". Sonhe, pois a partir deles é que sairam suas realizações.

Um abraço do Amigo Felipe Renan ou QUIETINHO.

Anônimo disse...

Oi amigo,
Através da sua reflexão nasceu essa poesia "E se eu não amar", eu acredito que é a realidade de muitas pessoas no mundo, sinceramente já foi uma realidade para mim, mas depois que eu aceitei Jesus eu tenho a certeza em tudo o que eu faço, todo o espírito de confusão foi embora, pois descanso nEle em todas as decisões que vier a tomar.
Essa incógnita que reflete a sua poesia gira em torno da incerteza dos sentimentos, não devemos nos martirizar em relação ao futuro, devemos pensar no presente e descansar em Deus, pois Ele tem um plano maravilhoso para as nossas vidas.
Você é uma pessoa maravilhosa e tem tudo para ser feliz, basta viver o hoje a plena realidade, sem pensar no passado e no futuro e entregar a sua vida a Jesus e Ele conduzirá você em todas as suas decisões para viver em plena harmonia, paz e amor.
Um forte abraço,
Alessandra Damaso

Elenara Teixeira disse...

Gostei de saber que o meu Blog foi visitado pelo teu coração emocionado. Fico feliz de saber que as emoçõses estão soltas no ar e que sempre podemos crescer dentro delas.
Adorei tuas reflexões e o poema feito apartir de todas elas.
É linto! Tem vigor sem deixar de possuir uma grande sensibilidade.
Continuas assim!
Um abraço!

Elenara Castro Teixeira
http://phoemahelenara.blogspot.com