terça-feira, maio 30, 2006

Saudade

Acordei com saudade de você
Deu vontade de te abraçar.
Senti o peito apertado
E o travesseiro eu abracei.

Acordei com saudade de você
Deu vontade de te beijar.
Senti o peito apertado
E o teu retrato eu beijei.

Acordei com saudade de você
Deu vontade de te falar.
Senti o peito apertado
E este poema eu escrevi.

Acordei com saudade de você
Deu vontade de te amar.
Senti o peito apertado
E então eu chorei.


---

Nota: A saudade é a prova que gostamos de uma pessoa. Quanto maior a saudade maior o sentimento. No momento estou morrendo de saudade da pessoa amada. Ela está distante, mais muito longe mesmo. Sua voz é música para meus ouvidos. Sua presença é meu maior desejo. Meu amor, volte logo....

Um comentário:

Elenara Teixeira disse...

Allan!
Permita postar esse comentário na tua poesia. Quero apenas ser presente nesse poema tão bonito!
(...)
Saudade!
A saudade me consome, me atiça e me enleva, me arrebata e me destrata, é a cicatriz da minha alma que se rebela e que purga, sempre que me distraio de ti!
A saudade me devora, me enluta e amargura meu sorriso, toda vez que me percebo sem a emoção que te retrata em rimas e versos na minha poesia!
A saudade é o xeque-mate na minha vontade de adormecer, é o ranço que mascara o meu humor e me deixa tão dependente do teu sorriso!
A saudade ainda vai me revelar!

Elenara Castro Teixeira